Falso “terrorista” mobiliza até esquadrão antibombas depois festa em SP

A Falsa bomba de plástico e de madeira foi abandonada por um jovem de 23 anos, depois de sair de uma festa fantasiado de mecânico e foi detonado pelo Gate.

O  fato inusitado aconteceu na orla de Santos, no litoral de São Paulo. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado para detona o objeto de plástico e de madeira, depois de ser deixado por um jovem fantasiado.

O Artefato suspeito foi localizado por um pedestre na calçada da avenida Presidente Wilson, no bairro do Gonzaga, manhã de sábado (16). A polícia militar isolou a área, o transito foi bloqueado. Em seguida acionaram equipes socorristas, os bombeiros e o esquadrão de antibomba, que tempo depois realizou a explosão da suposta bomba na areia.

Após a mobilização, que interrompeu o fluxo de veículos na cidade, em metade de um dia, a pessoa fantasiada de “homem-bomba” foi circulou em aplicativos de mensagens e redes sociais. Ele era o proprietário da falsa bomba, um mecânico, que criou a fantasia, e que, após isso, foi avisado por amigos, que aconteceu na cidade.

“Eu jamais tive a intenção de causar tudo isso. Peço desculpas às pessoas e aos policiais que foram mobilizados. Quando eu sai da festa com meus amigos e passamos pelo local voltando pra casa, eu joguei a ‘bomba’ naquela lixeira. Era lixo, não precisava mais dela. Era noite e não vi que não tinha acertado”, lamentou o rapaz, que pediu anonimato.

Ele estava com os colegas do trabalho em uma festa temática da empresa. “Quando vi que seria à fantasia, pensei em algo que pudesse ter em casa. Montei um turbante, peguei um sobretudo e fiz aquela ‘bomba’ com cabo de vassoura para simular dinamite, fita adesiva, fios velhos e um painel de moto velho. Pode ter parecido real”, explica.

O objetivo era vencer uma premiação que seria realizada na festa. “Todo mundo elogiou, falou que a fantasia estava muito boa. Mas acabou nem tendo essa premiação. Se tivesse ganho, teria até que dividir a premiação com meu amigo, que me ajudou a preparar aquela bomba falsa. Ficamos olhando as imagens na internet para fazer”.

O mecânico afirma estar ciente da responsabilidade, principalmente, diante da repercussão e da mobilização dos policiais. “Além das desculpas às pessoas, eu tenho e vou me apresentar na delegacia para prestar esclarecimento sobre o que aconteceu. Muita gente levou na brincadeira, mas vou tomar mais cuidado numa próxima situação”.

A Falsa bomba de plástico e de madeira foi deixada por um jovem de 23 anos, depois de sair de uma festa fantasiado de mecânico e foi detonado pelo Gate.


Veja também:

O caso foi registrado no plantão da Polícia Judiciária e deverá ser investigado pela equipe do 7º Distrito Policial da cidade, informou o comando da corporação. Pela legislação, ainda segundo a polícia, o rapaz poderá responder por uma “contravenção penal”, uma vez que por não se tratar de um artefato explosivo, não é considerado crime.

Deixe um comentário