ministerio-recua-e-nao-vai-antecipar-2a-parcela-de-auxilio-emergencial

Ministério recua e não vai antecipar 2ª parcela de auxílio emergencial

O presidente da Caixa Econômica Federal havia anunciado na última segunda-feira, dia 20 de abril de 2020, a antecipação da 2ª parcela do auxílio emergencial.

 

Entretanto, teve que recuar depois de receber uma recomendação da Controladoria Geral da União – CGU, que apontou o alto número de informais cadastrados, assim, as expectativas foram superadas que tornou-se imperativo solicitar créditos suplementar para poder completar o atendimento a todos.

 

Vale salientar, que o recurso disponível para cada uma das três  parcelas é de R$ 32,7 bilhões e já foram transferidos R$ 31,3 bilhões. Além do, cadastro de 12 milhões que serão avaliados para pagamento da primeira parcela.

 

O objetivo é garantir o atendimento para todas as pessoas elegíveis de acordo com a lei 13982/20, promulgada no último dia 3 de abril.

 

O Governo Bolsonaro tem como marca a responsabilidade fiscal e o cumprimento de todas as normas legais.

 

Desta forma, o Ministério da Cidadania produziu na data de 22 de abril de 2020, uma nota técnica e já solicitou ao Ministério da Economia a previsão para uma suplementação orçamentária o mais rápido possível.

 

Em decorrência de, fatores legais e orçamentários, pelo alto número de requerentes que ainda estão em análise, O Ministério ficou impedido legalmente de fazer a antecipação da 2ª parcela de auxílio emergencial.

 

Mesmo, o Ministério da Cidadania juntamente com a Caixa manifestaram seu desejo de antecipar o pagamento da segunda parcela.

 

De acordo com a nota à imprensa, publicada pelo Ministério da Cidadania, será efetuado o atendimento completo da primeira parcela e anunciado o calendário de pagamento da segunda parcela do Auxílio Emergencial no mês de maio.

 

O Auxílio Emergencial do Governo Federal beneficiou cerca de 31 milhões de brasileiros e foram registrados mais de 45 milhões de cadastros. Além disso, estão sendo avaliados mais de 7 milhões de cadastros de 11 a 17 de abril, com previsão de conclusão até próxima sexta-feira (24).

 

Até o momento 43 milhões de pessoas foram beneficiadas com auxílio, incluindo beneficiários do Bolsa Família.

 

Todos os que forem elegíveis de acordo com a Lei 13982/20 irão receber o auxílio emergencial do Governo Federal.