Vice-presidente Mourão promete a investidores que Brasil combaterá desmatamento

Hamilton Mourão promete a investidores que Brasil combaterá desmatamento

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, realizou uma reunião por meio de videoconferência com investidores internacionais sobre a política ambiental do Brasil.

 

 

Depois da reunião, Mourão conversou com a imprensa, disse que os investidores esperam ver resultados da política ambiental, antes de retomar os investimentos.

 

 

“Em nenhum momento eles se comprometerem com alguma política dessa natureza. A nossa avaliação, é óbvio: eles querem ver resultado. E qual é o resultado que podemos apresentar: é que haja efetivamente uma redução do desmatamento”.

 

 

 Disse Mourão. O encontro desta quinta-feira foi motivado por uma carta que o governo recebeu de empresas brasileiras e estrangeiras em que elas manifestaram preocupações relacionadas ao desmatamento e pediram a defesa da agenda do desenvolvimento sustentável. 

 

Vice presidente Mourão promete a investidores que Brasil ombaterá esmatamento - Hamilton Mourão promete a investidores que Brasil combaterá desmatamento
Hamilton Mourão promete a investidores que Brasil combaterá desmatamento

 

Mourão, que é presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, relatou que, durante a reunião, tratou sobre as medidas tomadas pelo colegiado, “de forma multidisciplinar”, entre elas as que tratam sobre mineração de terra indígena, saúde indígena, combate ao desmatamento, regularização fundiária e acordos internacionais assinados pelo Brasil.

 

 

“Não há prazo [para a retomada dos investimentos]. A nossa visão é que a gente conseguindo apresentar, no segundo semestre, algo positivo em relação às queimadas, é algo que pode ser colocado na mesa de negociação dizendo: estamos cumprindo a nossa parte e vocês voltem a cumprir a de vocês”, disse.

 

 

O vice-presidente também relatou que iniciou novas conversas sobre o Fundo Amazônia, especialmente com Noruega e Alemanha, os principais doadores. Segundo Mourão, os dois países também aguardam o resultados dos esforços do Brasil para reduzir o desmatamento ilegal e as queimadas.

 

 

“Estamos aguardando o visto bom deles que também está ligado à nossa resposta em relação ao desmatamento. Uma vez que consigamos apresentar dados consistentes, os recursos que estão lá [no fundo] serão novamente reabertos para os projetos relacionados ao desenvolvimento, proteção e preservação da Amazônia”, disse o vice-presidente da república.