RONDÔNIA: Cheia do Madeira deixa quase 6 mil atingidos

O nível do rio Madeira ultrapassou a cota de inundação em Porto Velho e já atingiu cerca de 1.259 famílias direta e indiretamente, tanto na área ribeirinha urbana quanto nos distritos do Médio e Baixo Madeira.

De acordo com a Defesa Civil, 17 metros é considerada a cota de transbordamento de uma eventual cheia.

Na quinta-feira (7), o nível do rio atingiu sua maior cota de 17,35 metros em Porto Velho. Na manhã de ontem (8), o nível do rio recuou para 17,29 metros.

A cheia do rio Madeira já deixou 145 famílias desabrigadas e segundo a Defesa Civil, todas estão sendo assistidas pela prefeitura.

O número de famílias desalojadas chegou a 137, algumas delas foram levadas para a casa de parentes, outras alugaram casas para morar e outras estão em abrigos organizados pela Secretaria de Assistência Social e da Família (Semasf) em parceria com a Defesa Civil Municipal.

imagem09-03-2019-18-03-22
Foto: Roni Carvalho/Diário da Amazônia

Na capital, o Ginásio Fidoca, localizado no bairro Agenor de Carvalho, em Porto Velho, foi liberado para abrigar as famílias que estão desalojadas e desabrigadas em decorrência da cheia.

De acordo com a Semasf, seis famílias já estão no local, somando o total de 25 pessoas e poderá chegar mais nos próximos dias.

Segundo a Diretora da Proteção Social Especial e psicóloga Ana Karla Feitoza, 10 barracas foram montadas no local e, caso aumente o número de famílias, um outro abrigo provisório será instalado.

“A Semasf tem uma equipe preparada para atender às famílias todos dias. Todas as famílias afetadas pela capital e que não têm para onde ir estão sendo levadas para lá.

No local as famílias estão recebendo café da manhã, almoço, jantar e estamos tentando, nesse momento difícil, contribuir da melhor forma”, contou Ana.

Doações

A Secretaria de Assistência Social e da Família (Semasf) também já está recebendo doações para repassar às famílias que estão desalojadas e também desabrigadas.

O trabalho de recebimento das doações será em parceria com a Defesa Civil Municipal.

As pessoas que desejarem realizar o ato de doação poderá levar a contribuição até a Semasf. “Nós estamos vendo um novo local para receber as doações porque ali na secretaria não vai ser suficiente para atender à demanda. Vamos montar um novo ponto”, explicou Ana Karla.

O que pode doar?

Água mineral; roupas; colchões e roupas de cama; alimentos não perecíveis e produto de higiene pessoal.

(Com informações do Diario da Amazonia)

Deixe um comentário

%d bloggers like this: