Cheias ameaçam a BR-425 e municípios podem ficar isolados em RO

Os municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré não têm outro acesso se não a BR.

Foto aérea da cheia do rio madeira no distrito do Araras em Rondônia.

As cheias do rio Madeira colocam em alerta a população de Guajará-Mirim e Nova Mamoré que temem o isolamento caso trechos da BR-425 fiquem submersos.

Os trechos mais críticos estão nas antigas pontes da antiga Estrada de Ferro Madeira Mamoré que a água já está rente ao madeiramento.

Na cachoeira do Ribeirão e no igarapé Araras além das pontes a pista da rodovia está no limite, causando risco de acidente com veículos que cruzam o local.

Veja também:

Os municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré não têm outro acesso se não a BR.

A estrada também é a principal ligação com a fronteira boliviana por onde são exportados produtos.

Nesse trecho compreendido a população entende que será necessário fazer a elevação do nível da rodovia BR-425.

No quilômetro 80, zona rural de Nova Mamoré, um bueiro foi afetado pela cheia e corre risco de romper.

A Defesa Civil chegou a pedir interdição do trecho. O DNIT fez aterros e elevações em pontos mais críticos da BR-425 para garantir a trafegabilidade.

A BR-425 tem extensão de 148 quilômetros do distrito de Abunã (Porto Velho) a Guajará-Mirim. A jurisdição é da Su,..perintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT), em Rondônia.

(Por: Diário da Amazona)

Deixe um comentário